Fim do Sonho!


O sonho acabou. A síndrome dos centenários invadiu o Parque São Jorge e acabou com o sonho da conquista da inédita taça, o Corinthians mostrou que ainda precisa amadurecer na Libertadores. O time mostrou claramente no segundo tempo que ainda não vive a Libertadores, diferentemente do Flamengo que parece relembrar os caminhos sinuosos para chegar ao lugar mais alto.

O Corinthians começou dominando as ações e sufocando o rubro-negro, tanto que logo no início, Bruno foi testado várias vezes. Ralf e Elias ganhavam todas as bolas no meio de campo, Jorge Henrique estava infernizando a defesa. O Flamengo quando conseguia dominar a bola perdia rapidamente de forma boba, o time parecia assustado dentro do Pacaembu. Diante de tanta pressão, o resultado não podia ser diferente, o Corinthians abriu o marcador em boa jogada de Danilo, que lançou Ronaldo, porém David se antecipou ao atacante alvinegro e jogou contra o patrimônio, gol contra e 1×0 Corinthians. Se o gol, poderia despertar o time rubro-negro ele teve efeito oposto, tornou o time mais apático ainda, enquanto o Corinthians atacava o Flamengo com todo o ímpeto possível. E se Ronaldo, não conseguiu no primeiro lance, no segundo ele não perdoou, em boa jogada de Dentinho, Ronaldo cabeceou firme e aumentou a contagem, dessa forma o Corinthians se classificava para as quartas, ao Flamengo por toda apatia do primeiro tempo restava apenas esperar acabar o primeiro tempo.

Na segunda etapa, Rogério Lourenço promoveu uma mudança daquelas que merece destaque pela estrela, o treinador tirou Vinicius Pacheco e colocou Kleberson, o pentacampeão nos dois primeiros lances mostrou a que veio, no primeiro lançou Léo Moura, que mesmo livre de marcação cruzou pessimamente. No segundo lance, Kléberson resolveu deixar Love na cara do gol e o atacante não perdoou. Com este gol o Flamengo passava a ser o classificado. Resta ao Corinthians atacar, mas foi nessa hora que faltou a maturidade de um time que vive a Libertadores. Ao invés, do alvinegro crescer, aproveitar o fator casa e encurralar o rubro-negro, o time sentiu o baque e ficou totalmente desorientado, ao contrário do rubro-negro que começava a trabalhar melhor a bola e fazer o relógio correr.

Mano até tentou promover algumas mudanças, mas que na minha opinião não foram felizes, principalmente a saída de Elias, um dos melhores em campo, mas o time parecia sentir o fim do sonho, a ansiedade tomou conta do time que não se encontrou mais. Aliás tirando na bola parada de Chicão, o Corinthians não conseguiu assustar Bruno na metade final do segundo tempo. Chegou até ser tranquilo para o flamengo segurar o resultado.

Pelo Corinthians, Felipe, Chicão, Roberto Carlos, Alessandro, Ralf, Elias e Ronaldo foram bem. Do lado rubro negro, Bruno, Leo Moura, Angelim (que partida!), Juan, Maldonado (que monstro!), Kléberson e Love foram os destaques.

Em resumo, foi uma grande partida, mas que o fator “viver” a Libertadores pesou.

Anúncios